Consumo Seguro

Portugues English
Escolhas inteligentes para uma alimentação saudável.

Notícias

Saiba mais sobre os Sucos de Maçã – Possmann

Por editor • Postado em 05/07/2016 • Categorias: Matérias

A Possmann, empresa familiar, com sede em Frankfurt – Alemanha, foi fundada em 1881 por Philip Possmann e agora, está em sua 4ª geração.

A primeira menção oficial da empresa pode ser encontrada nos registros de Carlos Magno (cerca de 799 d.C).

A base da empresa são as maçãs de alta qualidade, cultivadas naturalmente e que são escolhidas criteriosamente para assegurar o melhor sabor de seus produtos finais.

As maçãs crescem sem tratamento, sem produtos químicos, sobre os campos e colinas da região central da Alemanha. Elas amadurecem expostas apenas à natureza do sol, chuva e vento e são colhidas pelos agricultores locais.

Ao longo do tempo, o processo básico para fazer os sucos não mudou. No entanto, a tecnologia mais recente permite que a Possmann produza com uma eficiência mais elevada e com maior consistência os seus produtos, como por exemplo através do mais novo equipamento, que prensa as maçãs de forma mais suave e, portanto, produz um suco fresco e mais aromático.

Depois de receber as maçãs, o fruto é cuidadosamente inspecionado e pesado. somente as melhores maçãs entram na cadeia de processamento para uma lavagem completa antes de serem enviadas para a fabricação.

A partir dos moinhos, o mosto fresco é bombeado para uma das três prensas, O sumo da maçã proveniente das prensas é filtrado e, em seguida bombeado para um tanque de armazenamento provisório, o responsável determina o envio para ser filtrado e produzir o suco.

Nada é desperdiçado. Na verdade, a polpa restante é um subproduto valioso que é utilizado por agricultores para alimentar ovelhas e gado durante invernos rigorosos.

As autoridades sanitárias alemãs têm uma merecida reputação por criarem e fazerem cumprir as normas de qualidade consideradas as mais rigorosas do mundo. Para enfrentar este desafio, a Possmann tem passado de geração em geração este compromisso com a qualidade, e como resultado, é regularmente reconhecida e recompensada por seus produtos.

Experimente o sabor único de seus sucos de maçã!

Comentar »

Saiba mais sobre a Castanha do Brasil – Econut

Por editor • Postado em 05/07/2016 • Categorias: Matérias

A Castanha-do-Brasil Econut, cultivada pela Agropecuária Aruanã S.A. em sua Fazenda Aruanã, situada em Itacoatiara, AM, tem garantia de pureza e qualidade desde a árvore até a embalagem final, porque é colhida de árvores plantadas com os melhores genótipos selecionados pela Embrapa e pela Agropecuária Aruanã, cultivadas organicamente por mais de 25 anos, sem uso de adubos químicos e defensivos.

Toda a cadeia produtiva é rigorosa e tecnicamente controlada desde a colheita até a embalagem final, sendo o produto puro, exclusivamente oriundo de plantações próprias da Fazenda Aruanã, com valores nutritivos homogêneos e controlados. A região de Itacoatiara produz castanhas com teor ótimo de selênio e excelente composição nutricional.

A pós-colheita, até a embalagem, é rigorosamente controlada e feita na própria Fazenda Aruanã. A embalagem foi especialmente projetada para assegurar durabilidade e manutenção da qualidade da castanha Econut. O produto final é puro, sem nenhuma alteração de suas qualidades naturais.

Econut possui o Selo SisOrg do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) através da certificadora TECPAR “(Instituto de tecnologia do Paraná).

A castanha ECONUT produzida na Fazenda Aruană, na regiăo de Itacoatiara, no Amazonas, possui uma concentraçăo de selênio que basta o consumo de 1 castanha por dia para suprir as necessidades da saúde humana.

A pesquisadora Bárbara Rita Cardoso, da USP, utilizou as castanhas ECONUT (www.econut.com.br) que foram doadas pelo Instituto Excelsa, junto a idosos com Alzheimer e obteve resultados de melhora na fluência verbal e no raciocínio graças ao selênio.

Motivado por essa pesquisa, Bárbara Cardoso foi a vencedora do Prêmio Jovem Cientista 2015 nas categorias Mestre e Doutor.

Para ver a pesquisa na íntegra, acesse: www.teses.usp.br

 

 

 

Comentar »

SAIBA MAIS SOBRE OS PRODUTOS RISOVITA

Por editor • Postado em 18/02/2016 • Categorias: Matérias, Video

O alimento de arroz RISOVITA é um produto obtido dos grãos de arroz por meio de um cuidadoso e delicado processo tecnológico.

É naturalmente isento de lactose e colesterol, por ser de origem vegetal, e sem glúten por ser derivado de arroz, um cereal hipoalergênico natural, de fácil digestão e muito consumido em todo mundo.

Produto desenvolvido sem a adição de conservantes, para todas as pessoas atentas ao seu bem-estar e que adoram novidades.

Acesse o link e veja mais sobre os produtos da linha RISOVITA

CONHEÇA COMO SÃO PRODUZIDOS OS PRODUTOS DA RISOVITA

Comentar »

BOAS FESTAS!

Por editor • Postado em 16/12/2015 • Categorias: Matérias

O caminho que percorremos é feito por nossos próprios passos, mas a beleza da caminhada depende dos que vão conosco!

Assim, que em 2016 possamos caminhar juntos em busca de um mundo melhor, repleto de PAZ, SAÚDE, COMPREENSÃO e muito AMOR!

FELIZ NATAL  e  PRÓSPERO ANO NOVO!


São os votos da Equipe do Consumo Seguro!

 

 

Comentar »

Quando o barato sai caro! por Nadia Cozzi

Por editor • Postado em 13/11/2015 • Categorias: Matérias

 

Alimentar é nutrir, conceito meio fora de moda no mundo atual, onde “o legal” é o consumo de produtos industrializados ultraprocessados, rápidos, práticos e cheios de calorias vazias.

Antigamente, e esse antigamente só tem uns 50 anos, alimentar era função dos agricultores, que cuidavam da terra, escolhiam as melhores sementes e entendiam das épocas certas para plantar.

Hoje vivemos do imediatismo, as sementes transgênicas estão aí para “facilitar” a vida do homem do campo. Não importa quanto agrotóxico se coloca na terra, as super plantas transgênicas são resistentes a ele. E não podemos esquecer o nobre objetivo por trás delas: acabar com a fome do Mundo! Será?

Engraçado que essa também era a promessa dos agrotóxicos lá nos idos do pós-guerra, vai ver que precisava dessa dupla dinâmica agrotóxicos / transgênicos para cumprir a promessa de um bom alimento, barato e farto!

Falando em barato,esse passou a ser o critério na escolha de como alimentar a família. Supermercados fazem promoções incríveis e corremos para aproveitar, assim sobra mais para aquela roupa de grife ou aquele celular “maneiro” que acabou de ser lançado.

E dá-lhe macarrão instantâneo, achocolatados, salgadinhos e mais um monte de invenções alimentícias. “Fastfood porque eu não tenho tempo, fastfood porque as crianças curtem, fastfood porque eu não sei cozinhar, fastfood porque é mais fácil”.

As indústrias alimentícias investem pesado na publicidade, prometendostatus, harmonia, beleza e saúde. Colocam até nossos ídolos televisivos testemunhando que seus produtos são excelentes, como se eles tivessem competência para essa análise.

Vida…

Hummm viver é complicado. “Estou com problemas de pressão alta, colesterol e acima do peso. Precisa ver a conta da farmácia!

Eu sei… preciso cuidar melhor da minha alimentação, já comprei uns shakes e 2ª. feira começo o regime. Frutas, verduras e legumes? Ah lá vem você com seus conceitos naturebas, além do mais aí eu preciso ir para a cozinha, ninguém merece!

Junto com isso aparecem os conceitos do “umavezinha só não faz mal”, “eu sempre vivi assim e não morri”, “tadinha da criança vai ficar aguada” e outras pérolas.

Na contramão disso tudo, surgem os combatidos orgânicos, “feios, caros e difíceis de encontrar” na cabeça de alguns. Uma bobagem, tendência, modinha, na cabeça de outros. Essencial para a preservação da Vida para um número cada vez maior de pessoas, graças a Deus!

Pregam uma semente sadia, um solo bem cuidado sem agrotóxicos, um retorno às feiras onde os alimentos que foram colhidos há poucas horas, podem ser vendidos diretamente, certamente a um preço menor.

Alimentos processados, sim, mas de forma artesanal, sem aditivos químicos, pois o objetivo não é esticar a vida e sim preservá-la.

Saber a origem do alimento, conhecer “o cara” que plantou e sua preocupação com a sustentabilidade, com a água, com os animais não deveria ser um critério de compra importante?

E quando o assunto é cozinhar, alguém aqui tem uma comidinha de infância, que só de lembrar já vem o cheiro e o sabor? E perceberam que sensação boa de cuidado, de carinho vem junto com essa lembrança?

Pois é, alguém um dia, foi para a cozinha preparar essa delícia especialmente para você. Se ela também pensasse que cozinhar era chato e cansativo uma parte de sua história certamente não existiria.

Correndo o risco de me acharem velha e saudosa, quais serão as lembranças que as crianças de hoje terão?

Alimentar é muito mais do que matar a fome. Alimentar é nutrir a Vida de VIDA.

Nadia Cozzi

Consultora, Culinarista, Escritora e Blogueira da Consciência na Alimentação

 

Comentar »

O QUE É PPM? Veja o que diz Aldo Baccarin a respeito

Por editor • Postado em 04/09/2015 • Categorias: Matérias

PPM (PARTES POR MILHÃO)

Todos os dias, os laboratórios de análise recebem solicitações de análise de composição centesimal de alimentos, em geral, para quantificar os ingredientes maiores como teor de umidade (água), proteínas, açúcares, fibras, etc. De forma simples, usando metodologias robustas de análise se determina em porcentagem (%) ou gramas por 100 gramas. Tomando como exemplo o caso da análise do leite integral é fácil entender e visualizar as quantidades de gordura, proteínas, açúcares e cinzas. De forma prática, em meio copo de leite (100g) podemos ter 2 colheres de sopa contendo a gordura, a proteína e os  açúcares.

Exemplo:

COMPOSIÇÃO DE LEITE INTEGRAL

ANÁLISE                                          RESULTADO 

(g/100g)

Água                                                      87,8
Gordura                                                  3,5
Proteína                                                  3,2
Açúcar (lactose)                                    4,8
Cinzas                                                      0,7

 

A coisa começa a se complicar um pouco quando tentamos visualizar a quantidade de vitaminas presentes no leite, que somadas são alguns miligramas (1 grama contém 1000 miligramas). Neste caso, sabemos apenas que são quantidades muito pequenas, que não conseguimos enxergar, mas os equipamentos analíticos conseguem detectar e quantificar.

Bem, agora vamos ao que interessa e vamos entender o conceito de “ppm” (partes por milhão). Imagine pegar uma colher de chá de açúcar (± 1g) e dissolver em uma caixa de água grande de 1000 litros (lembrar que 1000 litros de água é igual a 1.000.000 de mililitros ou 1.000.000 de gramas). Este exemplo permite dizer que temos 1 ppm de açúcar na caixa de água, ou seja, uma quantidade muito pequena.

Agora vamos usar o conceito de “ppm” no mundo de alimentos especiais – aqueles formulados com ingredientes isentos de alergênicos (ex.: pães ou macarrão sem glúten, sem leite, sem soja, sem ovos, etc.). Estes produtos exigem atenção total e devem ser produzidos por pessoas treinadas em locais especiais usando equipamentos dedicados para evitar contaminações. O produto acabado e os ingredientes utilizados devem ser testados periodicamente para garantir a ausência dos alergênicos e conformidade com a legislação. Qualquer produto em “não conformidade” com as declarações de rotulagem, se for encontrado no mercado, precisa ser recolhido (retirado do mercado). A razão desta preocupação é que algumas pessoas podem apresentar reações alérgicas fortíssimas, até fatais, se ingerirem produtos alimentícios alérgenos que são sensíveis.

Os métodos de análise hoje em uso podem detectar com segurança alguns “ppm” em qualquer alimento. No caso específico do glúten, 5 ppm (equivalente a 0,0005% ou 0,0005g /100g de alimento) são facilmente detectados.

Por todas as razões acima expostas, é recomendado aos produtores de alimentos especiais, livres de alergênicos, uma vigilância constante para estar em conformidade e não colocar em risco a vida de seus consumidores.

Aldo Baccarin

Químico responsável pelo Laboratório de Análise de Alimentos Food Intelligence

Comentar »

RÓTULOS DE ALIMENTOS QUE CAUSAM ALERGIAS ALIMENTARES

Por editor • Postado em 10/08/2015 • Categorias: Matérias

A Resolução RDC nº 26, de 02 de julho de 2015, publicada pela Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, dispõe sobre os requisitos para rotulagem obrigatória dos principais alimentos que causam alergias alimentares.

Esta lei obriga que os alimentos que contenham ingredientes, aditivos e coadjuvantes de tecnologia que contenham ou sejam derivados de alimentos que possam causar alergias alimentares, informem tal ocorrência em seus rótulos da seguinte forma: ALÉRGICOS: CONTÉM ……

ou

ALÉRGICOS: CONTÉM DERIVADOS DE …..

ou

ALÉRGICOS: CONTÉM …. E DERIVADOS, conforme o caso.

Nos casos em que não for possível garantir a ausência de contaminação cruzada dos alimentos, ingredientes, aditivos alimentares ou coadjuvantes de tecnologia por alérgenos alimentares, deve constar no rótulo a declaração: “ALÉRGICOS: Pode conter …….”

Abaixo a lista dos principais alimentos que podem causar alergias:

Trigo, centeio, cevada, aveia e suas estirpes hibridizadas
Crustáceos
Ovos
Peixes
Amendoim
Soja
Leites de todas as espécies de animais mamíferos
Amêndoa (Prunus dulcis, sin.: Prunus amygdalus, Amygdalus communis L.)
Avelãs (Corylus spp.)
Castanha de caju (Anacardium occidentale)
Castanha do Brasil ou Castanha do Pará (Bertholletia excelsa)
Macadâmias (Macadamia spp.)
Nozes (Juglans spp.)
Pecãs (Carya spp.)
Pistaches (Pistacia spp.)
Pinoli (Pinus spp.)
Castanhas (Castanea spp.)
Látex natural

As advertências mencionadas acima devem estar nos rótulos com as seguintes características:

- CAIXA ALTA

- NEGRITO

- NO MÍNIMO 2 mm E NUNCA INFERIOR AOS CARACTERES UTILIZADOS PARA A DECLARAÇÃO DOS INGREDIENTES

- COR CONTRASTANTE COM O FUNDO DO RÓTULO

- DEVEM ESTAR APÓS OU ABAIXO DA LISTA DE INGREDIENTES

Portanto, fique atento aos rótulos!

Os fabricante terão até 02 de julho de 2016 para regularizem seus rótulos.

É importante lembrar, que esta obrigatoriedade não se aplica nos seguintes casos:

- alimentos embalados que sejam preparados ou fracionados em serviços de alimentação e comercializados no próprio estabelecimento;

- alimentos embalados nos pontos de venda a pedido do consumidor; e

- alimentos comercializados sem embalagens.

 

Comentar »

CONHEÇA UM POUCO MAIS SOBRE A BLESSING ORGÂNICOS!

Por editor • Postado em 02/09/2013 • Categorias: Video

Conheça um pouco mais sobre nossa parceira a empresa Blessing Orgânicos, especializada em chás, geléias, doces, molho e extrato de tomate, mirtilo orgânico desidratado sem adição de açúcar e outras delícias orgânicas.

Blessing Orgânicos
Vídeo Institucional realizado pela Malugi Filmes (http://www.malugi.com.br/)

Comentar »